quarta-feira, 12 de setembro de 2012

É tempo de solidão...


É tempo de solidão...

Agora que os olhos se despedem,
as mãos não se tocam,
os lábios não se encontram
e os caminhos não se cruzam...
fica apenas a saudade,
a lembrança e a certeza
de que nada mais será como antes.
A chuva que cai agora
é como uma ilustração da solidão
vagando nas ruas da cidade...
Deixemos que os ventos carreguem as mágoas
que um dia ficaram perdidas na alma,
e despertemos, então, para um novo amanhecer...